segunda-feira, janeiro 21, 2008

* 1968



Para comemorar os 40 anos de 1968, e suscitar o debate, pretendo escrever alguns texto sobre aquele ano, que por ter sido maior do que os outros, não acabou. Começo falando de um filme, que eu adoro, “Os Sonhadores”, que termina na Revolução de Paris de 1968. O texto é apenas uma exposição de algumas idéias, não é resenha sobre o filme, não é crítica, serve apenas como introdução.
OS SONHADORES


Theo (Louis Garrel), Matthew (Michael Pitt) e Isabelle (Eva Green) estão deitados dentro de uma barraca, montada na sala de casa, de repente uma pedrada quebra a vidraça, e desperta os jovens para o mundo lá fora. 1968, a Revolução começou. A cena é do filme “Os Sonhadores” de Bernardo Bertolucci, e na cena seguinte os jovens têm que escolher entre participar da revolução, ou seja, das manifestações, ou não. Theo, o jovem sonhador francês, entra no meio da multidão que havia tomado as ruas de Paris, e busca um coquetel Molotov. Matthew, o jovem americano que foi estudar em Paris é contra, e diz, tentado retirar a bomba das mãos do amigo, “Theo, está errado”. A resposta, não poderia ser mais idealista. “É maravilhoso, Matthew”, que rebate, “Isto é violência”. Para os americanos, a única violência aceitável tem sido a deles mesmos, qualquer outra é violência. Mas e as guerras de independência, as lutas contras as ditaduras, e a opressão? (A Veja faz questão de afirmar que Mariguella, ou Lamarca eram terroristas, e os algozes de todo o povo, o que eram? Mas pensando assim Tiradentes também foi um terrorista, Zumbi, Antônio Conselheiro também.) O diálogo deles continua. Matthew beija Isabelle e Theo na boca, para mostrar que a arma da nova geração deveria ser o amor. Perdida a revolução “paz e amor” torna-se o lema da década de 1970, o lema de Woodstock. Há uma despolitização da política, ou seja, os temas somem da pauta, aparecem às pessoas (políticos), os partidos, as ideologias. As idéias são mais importantes, mas elas acabam esquecidas. “Os Sonhadores” termina em 1968, termina com a revolução. Mas os sonhos e as idéias não!



11 comentários:

LoS FanFarOeS disse...

Intom brother, eu nunca ouvi falar desse filme, mais obrigado pela dica. vou pesquisar sobre!!!

flow
abraçoss

Everaldo Ygor disse...

Olá!
Um ótimo post...
Esse filme é muito bom...
A revolução inacabada...
Vivemos essa utopia, em sonhos em nossa poesia...
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

Arne Balbinotti disse...

Todos os dias vemos pequenas revoluções, revoluções essas que as vezes nem percebemos, mas que farão grande diferença para os futuros revolucionários.
Além do mais, todos temos nossas proprias revoluções pessoais, aquelas que acontecem dentro de nós mesmos.
De um lado o preconceito, os tabus, a violencia mental... do outro a libertação e a visão panorâmica do mundo.
Enfim revoluçoes são eternas.
Abraços.

Jul!o disse...

Adoro os sonhadore. Extremamente acido e simbolico, e um filme pra ser no minimo revisto. o diálogo da banheira, com o sangue de Isabelle, e impressionante. A venus de milo.
perfeito.

ka disse...

Bom, vc escreve mt bem, isso ja disse varias vezes.
Vc eh o tipo de pessoa que, mesmo quando escreve sobre alg. assunto que n tem mt a ver comigo, me prende, soh pelo fato de escrever bem e conseguir prender o leitor.
Eu adoro esse filme, como vc tbm ja sabe.
Gosto da leveza e ao mesmo tempo intensidade entre os 3.
Da liberdade, da vida pulsando, das experiencias e risadas, dos papos cult e das ideias loucas que aparecem do nada.
Essa cena do filme que vc descreveu, lembro mt bem.
E, adorei quando vc falou que os americanos soh aceitam a violencia que eles mesmos provocam.
Lindo Jan.
bjus, se cuida!
saudades demais de vc, fica bem.
ps: sabe se o filme que tem o ator frances dos sonhadores ja ta no cine?

THIAGO PAULO disse...

quero muito ver esse filme.. adoro a Eva Green!!!
seu blog é otimo.. voltarei mais vezes!!!

abraços..

www.cineseries.blogspot.com

Jeeh Pikitita disse...

Hey, achei o blo na comunidade ^^

Você escreve muito bem, sabia ?
Admiro isso *-*

Beijão ;*

slim shady disse...

Este roteiro lembra bastante o roteiro do recente musical Across Universe,que se passa entre os anos 60 e 70 na época da guerra do vietnã.

Na minha opinião,tirando as guerras,seria a melhor époc pra se viver.

Ainda não assisti ao filme,pra falar a verdade,é a primeira critica que vejo sobre ele,e me interessei bastante,parabéns pelo post.

http://cinemaafinseumadosedewhiskey.blogspot.com/

CapinaremosRH@gmail.com (Zanfa) disse...

Haha, gostei dessa foto da banheira.

E gostaria de ter vivido esse tempo de revoluções e protestos, não hoje, em que vivemos na sujeira e corrupção e ninguém faz nada. =/

Rosane ! disse...

Puxa... pensei que só eu tinha visto esse filme !!!
Eu como uma eterna sonhadora... adorei esse filme.

Néis Darck disse...

nusss vi este filme e achei-o simplesmente fantastico..uma otima narrativa sobre a revolução francesa e uma otima tematica quanto a liberdade de expressão...sobretudo do ponto de vista das paixões