terça-feira, setembro 16, 2008

Um outro 11 de setembro




No dia 11 de setembro de 1973 a história da América Latina mais uma vez se encheu de infâmia. Depois do Brasil e da Bolívia em 1964, da Argentina em 1966 e 1976, do Uruguai naquele mesmo ano, foi a vez do Chile sofrer um golpe militar (o Paraguai já sofria com a ditadura desde 1954, e ainda sofreria sob os desmandos de Stroessner (1912-2006) até 1989, a ditadura mais longa da América do Sul). Reforçando o pensamento preconceituoso existente na Europa e nos Estados Unidos de que o continente era constituído de repúblicas das bananas, assoladas por caudilhos, o general Augusto Pinochet (1915-2006) deu um golpe militar no presidente constitucionalmente eleito Salvador Allende (1908-1973), que resistiu bravamente, e morreu no palácio de governo. O golpe do Chile teve apoio dos Estados Unidos que mandou navios para a costa chilena, além de ampla participação da CIA. O Chile sofreu com uma das ditaduras mais duras do continente, com milhares de mortos e desaparecidos. Finalmente, em 1990 o país voltou à legalidade com o fim da ditadura militar.
Diferente do Brasil, no Chile os agentes do Estado que mataram e torturaram têm sido punidos. O ditador chileno, Augusto Pinochet, chegou a ser preso em 1998, em Londres, por ordem expedida pelo valente juiz espanhol Baltasar Garzón. Além das acusações de assassinatos e violações de direitos humanos o ditador enfrentou acusações por outros crimes cometidos por ele, como enriquecimento ilícito.
A política estadunidense continuou a ser de intervenção direta ou indireta em outros países, não só da América Latina. No início dos anos 1980, sua política de contenção do comunismo se voltou para Ásia, depois da invasão Soviética ao Afeganistão e da revolução Islâmica no Irã, ambos no ano de 1979. A política dos Estados Unidos foi de apoiar os inimigos dos seus inimigos, seguindo aquele ditado: “os inimigos dos meus inimigos são meus amigos”. No caso do Afeganistão o apoio em forma de dinheiro e armas foi para a milícia Talibã; e o inimigo do Irã, e, portanto, amigo dos Estados Unidos, àquela época era o Iraque e seu ditador, Sadan Hussein. Anos depois tanto os Talibãs quanto Sadan seriam os maiores inimigos dos estadunidenses, depois de um outro 11 de setembro.
Mas voltando ao ditador do Chile, este deixou de ser importante parta os Estados Unidos depois da queda do Muro de Berlim, e tornou-se um inconveniente bem antes, ainda na década de 1970, quando o presidente estadunidense Jimmy Carter, chamou atenção para o desrespeito aos direitos humanos na União Soviética, e “descobriu” que tinha como aliado na luta contra o comunismo um ditador feroz (não era o único, existiam outros). Assim, o ditador foi obrigado a deixar o governo nas mãos dos civis.

28 comentários:

Márcio Ribeiro disse...

Interessante você ter mencionado outros 11 de setembro da história. E quanto aos Estados Unidos, eles são responsáveis diretos por muito do caos que vemos hoje, sempre com seu autoritarismo ditador.

http://comideiaseideais.blogspot.com

Vinicius Santucci Rossini disse...

O 11/09 mais novo quase apagou da história o outro , aliás n foi apenas a ocorrencia de outro 11/09 , é um tema que tanto o EUA como a base direitista das Américas tenta jogar no esquecimento.. belo post

Criação de Sites disse...

Tá aprendendo !!!!

30 e poucos anos. disse...

Dados históricos muito interessantes ...

Petite Femme disse...

não sei se a inteção do RR quando compôs Fátima, gravada pelo Capital Inicial, era essa, mas o 11 de setempbro me remete imediatamente aos veros: alguém um dia vai se vingar/ vcs são vermes, pensam que são reis.
acho que é isso, os EUA desde que "conquistaram" o posto de maior potência bélica se acham os donos do mundo e não medem as conseqüências de seus atos. sempre dão munição para os países que vão usar o treinamento estadunidense contra eles mesmos. e assim a história segue...

bjs

Mayna disse...

Esse foi mais um 11 de setembro que ficou na história, mas pouco se fala nesse assunto. Parabéns pelo texto.

http://maynabuco.blogspot.com

bob.loco Ah ViDa Eh lOcA mAnO!!! disse...

bem interessante o texto
cultura pura

abraços

meps. disse...

todo mundo chocado com a queda das torres gêmeas. são poucos os que mesmo assim lembram desses outros 'incidentes'.

Vitor Augusto disse...

outros 11 de setembro ?
bem legal ninguém mais fala sobre outros 11 de setembro, só porque foi os EUA eles acham que houve um unico 11 de setembro ruim

eu também penso, e as pessoas que nasceram em 11 de setembro ??

http://snomilharal.blogspot.com/

C.J disse...

Fiz uma Simulacao sobre esse assunto,sempre tive um interesse enorme em diplomatica/politica em geral.


Estou morando nos Estados Unidos e posso dizer,eles se julgam os amantes e paz e democraticos,enquanto tentam apagar seu passado sujo, os tempos em que a CIA derrubava os presidentes eleitos.

Paulo Rodrigo disse...

Ótimo Post. Muito boa a pesquisa e a informação que passou no texto.

Thiago - Feng Li disse...

muito interessante,
parabéns pelo post brother

Ingrid disse...

E se não fossem os golpes?
Como estaríamos hoje?

Seríamos uma Cuba, congelada no século passado? Ou uma Russia, em guerras fraticidas e pagando dízimos as máfias?

Há quem diga que os golpes militares na américa latina tolheram algumas liberdades em nome da preservação da mais importante das liberades para uma nação, a econômica.

Apenas trocando ideias...Bom texto.

Abraço

Jan Träumer (Einmal ist Keinmal - política, literatura, poesia, direitos humanos, reflexões, 1968) disse...

Não sou comunista, e contra qualquer tipo de ditadura, tanto de esquerda como de direita. Portanto, não acredito que nenhuma ditadura tenha algo de positivo. Não fossem os golpes estaríamos hoje muito melhores! Ah, Cuba está conservada no stalinismo muito mais por culpa dos EUA, só ver a história da ilha. Quanto a Rússia, o passado pré-soviético explica as lutas étnicas de hoje, veja a sua história e geografia. Muito boas as tuas perguntas Ingrid! Temos que indagar sempre da história!

Daniela Leal disse...

É um tanto hilário a política americana, a os inimigos do meus inimigos sõ meus amigos, porque chega um momento que essesd amigos se tornarão inimigos...
Detesto a interferência deles indireta em quase todos os conflitos existentes do mundo, e a cara de pau de não assumir alguns...
Não vejo a hora do mundo virar de cabeça-para-baixo e os EUA sairem do poder...

Mentalmorfose disse...

aprendi mto com o seu texto!

parabéns pelo post

;*

Flá Absolut disse...

Interessante...... gostei do post

e amei a foto do avatar, o RIO DE JANEIRO......

Márcio Ribeiro disse...

Interessante você ter mencionado outros 11 de setembro da história. E quanto aos Estados Unidos, eles são responsáveis diretos por muito do caos que vemos hoje, sempre com seu autoritarismo ditador.

http://comideiaseideais.blogspot.com

Paulão Fardadão Cheio de Bala disse...

E daí, curte jogar War?

calango azedo disse...

o 11 de setem bro so ficou marcado pq foi nos eua
se fosse em mumbaim por ex. niguem tinha nem se informado sobre o assunto

Fernanda F. disse...

Interessante mesmo esse ponto. O 11 de setembro não foi triste ó para os EUA afinal...

E dizem que tudo que vai, volta, né...
Tudo que sobe cai...

Acho que EUA também...

Márcio Ribeiro disse...

Interessante você ter mencionado outros 11 de setembro da história. E quanto aos Estados Unidos, eles são responsáveis diretos por muito do caos que vemos hoje, sempre com seu autoritarismo ditador.

http://comideiaseideais.blogspot.com

Victor Aguiar disse...

Que bom que esse dia passou.
Tragédia maior que essa não existe.

greatdj disse...

Engraçado, onze de setembro não é um bom dia para a história!
heheheh

Danilo Ozzy disse...

caári ... morria e num sabia desses outros 11 de setembro ... vlw pelas informações !

belo texto ^^

Ane disse...

Legal saber disso. Seria coincidência ocorrer tudo isso na mesma data?

Anônimo disse...

Muito atraete seu texo, parabens

abraco


www.interLouco.com.br

deco disse...

escrevi hoje uma poesia e fui postar...

aí pensei em te falar
rs

abs