sábado, fevereiro 16, 2008

* Pequenas Mentiras

A chuva, fina e fria, cai intermitente por mais de dois dias tristes. Quando a temperatura diminuía muito, as pequenas gotas, que precipitavam tal qual bailarinas, girando no ar, formavam flocos de neve. Tão frágeis que derretiam ao tocar o solo. Havia mais de três semanas que eles não viam o Sol, encoberto por nuvens pesadas vindas da Sibéria, alguém disse. Na primeira semana, houve uma nevasca terrível, e a neve se acumulou em camadas, nas calçadas, telhados, árvores, tudo tinha ficado branco. Quando a neve começou a derreter, havia lama em todos os lugares, além de placas de gelo no chão, que não se desmancharam porque a temperatura voltou a cair. E naquele domingo havia chuva, fina, fria, intensa. Eles queriam sair, ver a rua. Patrícia queria tomar um sorvete na Piazza di Roma, a sorveteria mais famosa da cidade. No último verão, quando não estavam fora da cidade, iam todos os domingo naquele estabelecimento que vendia felicidade em bolas de chocolate, e em outros sabores. Resolveram sair de casa, e saíram feitos astronautas, com o corpo coberto por várias camadas de roupas.
Caio havia aprendido a mentir com Patrícia. Ela lhe contara muitas histórias. E ele não podia acreditar em todas, parecia ser fantasia, mania de grandeza, loucura. Fingira acreditar. Aceitava ouvir tudo, pois não tinha mais ninguém para lhe fazer companhia naquele inverno. Não tinha com quem caminhar nas ruas geladas, sorvendo um sorvete de creme e flocos, de braços dados. Mas aprendia com as histórias dela. Anos depois ele agradeceu tê-la conhecido. Todas às vezes, quando foi necessário inventar uma história, ele se lembrava dela, sua professora de mentira. Uma vez, quando caminhavam por uma estrada de chão batido, indo para um castelo medieval dentro de uma floresta de pinheiros, ele resolveu contar uma história. Resolveu inventar uma história fantástica, para ludibriá-la. Mas ela, no seu jeito de moça recatada, e ao mesmo tempo espevitada, era muito mais esperta do que ele, e percebeu, que o rapaz magro, e sensual que lhe dava o braço, que às vezes dormia em seu quarto, que parecia ser o seu melhor amigo, estava lhe contando uma mentira. Eles discutiram, e ela pediu que nunca mais lhe mentisse. Ele com o orgulho de homem jovem ferido, prometeu a si mesmo, ainda com o rosto rosado, resultado da vergonha por ter sido desmascarado, ao ser pego na mentira, que ia enganá-la. Achou que poderia produzir uma mentira perfeita, a aquela que ela não desconfiaria.
No domingo, quando desciam a rua em direção ao rio, ainda não tinham terminado de tomar os seus sorvetes. Ela vertia algumas lágrimas, estava triste, e o tempo não ajudava. Ele começou a contar uma história, que teria se passado na ausência dela, quando estivera viajando para o campo. Ela riu ainda com o rosto molhado, das coisas que ele falou, mas pediu que ele explicasse novamente a história, pois não tinha entendido direito alguns fatos. Na segunda exposição, ela percebeu que ele mentia. Ela parou na calçada, no momento em que iam atravessar a rua. Ele foi, ela ficou. Nunca havia inventado uma história, nem contado uma mentira para ele. Mas ele, inseguro, sentia-se inferior a ela. Armou-se num mundo imaginário que não existia, único mundo onde conseguia forças para estar ao lado dela em igualdade. Ele aprendeu a mentir com ela. Ela nunca mentiu para ele. Depois daquele dia só se viram esporadicamente, se cumprimentavam com os olhos, quando se viam em algum lugar. Quando ele atravessou a rua, da última vez em que estiveram juntos, ela deu meia volta e retornou pela mesma rua, subindo a rua em direção à sorveteria. Precisava de mais uma bola de chocolate, talvez duas ou três. A chuva fina e fria havia se transformado em pequenos flocos de neve. A paisagem, com o casario antigo ao fundo, era linda. Ela tinha novamente lágrimas nos olhos, mas sentia-se feliz, com toda a sua verdade.

35 comentários:

Vírgula Antenada disse...

Que texto bacana e que rapaz mentiroso, rsrs.
Gostei da maneira que conduziu, não é uma história que prende, o que me prendeu aqui foi sua narração.
Parabéns.

Dicas disse...

Que mentirada! heheh
Você escreve muito bem, só a letra que está um pouquinho grande, e cores muito claras com o fundo preto doi os olhos.
Mas tirando isso gostei, principalmente das suas idéias.
Abraços!

Vírgula Antenada disse...

Lendo pela segunda vez, porque vale a pena. Olha que não tenho esse costume nem com "renomados"...

Mayna disse...

Bom texto! Gostei da história!

http://maynabuco.blogspot.com

Nana Lopes disse...

Uma narração lirica.
Muito boa a forma que a conduzui...

Rafael Puime disse...

Bravo, Bravo!!
Mas é como foi dito... uma mentira contada mil vezes se torna uma verdade!!
Até que ponto isso é verdade, seria interessante descobrir!
Ótimo blog!
Parabens!

Os melhores sites PTC disse...

Belas imagens no seu blog.

O anuncio google não esta poluindo seu blog

Parabens

Abraço

Fellipe disse...

de verdade..excelente..maduro!
assim q eu prefiro!

Leandro Bastos disse...

gostei da narração sobre mentiras. ^^

foi tipo lirica e envolvente :]

Camila Passatuto disse...

nossa adorei o texto, soube agarrar a leitora e fazer ela ir até o final

;P

Bruna Battirola disse...

bem bacana esse texto...
continue assim

Diego Rodrigo disse...

Poxa...
Talvez se fosse um dia bonito de verão, uma sorveteria seria bom não??

mas dia chuvoso e frio só poderia dar em decepção amorosa né!

bacana o texto

Marcel Ayres disse...

Olá jan

Ótimo texto... você é bem descritivo, consegue transmitir cada mínimo detalhe dos sentimentos que o inspiram.

a foto ajuda bastante a visualizar o ambiente descrito... parabéns, continue assim.

Matheus disse...

haUHAUhauhUHUAaa... Mentiroso pakas... Hae mano vc escreve bem pakas!!! Sucesso!!!

Bruno R.Ramos disse...

Os trabalhos desse blog devem ser exaltados pelas excelentes escolhas a nível de imagens e os posts são para além de poéticos, uma exalt~ção discursiva...Nota 10!

jlou disse...

Nossa... haja imaginação hein? gostei muito!

Abraços

www.jlouthings.blogspot.com

Luiz Felipe disse...

legal ein..

Nanda Kiedis Declama disse...

Toda mentira tem um pingo de verdade!!E quem não mente?!
Adorei o texto!!

Bjs

Jairo Assunção disse...

Muito bom cara!

Parabens pelo blog.
abs

Zanfa disse...

Interessante o texto, e bem bacana tbm. =)

São as pequenas mazelas dos relacionamentos, e você os interpreta e os captura muito bem, muito bom!

Sergino Neves disse...

Legal seu blog!!!
Gostei muita da cor (acho massa preto).
Até mais!!!

Diom disse...

Gostei principalmente da natureza e das características do ambiente transmitindo fortes impressões e mesmo sensações.

Paula Fernnandes disse...

Muito bacana esse texto. Como todos os outros do blog.

Parabéns.

Beijos.

Liz / Falando de tudo! disse...

Nossa adorei o texto!
Envolve e é leve e surpreendente, além de nos dar um liçao de vida também! Mas nem me diga onde fica essa sorveteria de alegria, se nao vou engordar!!
Passei aqui para te deixar um carinho e um obrigado por visitar meu cantinho! Volte!!

Davi Arloy disse...

Gostei cara! Pena que ele fez um mundo louco envolta dele mesmo e esqueceu o que importava pra ela né?! E ela agiu certo, as vezes é melhor estar sozinho com nossas felicidade's do que com alguem maisoumenos. rs

Bom texto

Abs

http://calcajeansehavaianas.blogspot.com/

Dannyell disse...

parabens vc escreve muito bem...

mas so uma sugestao, de um "enter" entre os paragrafos para tornar a leitura mais agradavel, o fundo preto complica as vezes.

do resto muito bom mesmo...

quero te convidar para visitar meu blog http://polecos.blogspot.com

voltarei sempre

vlw

An@Lu disse...

nossa, adorei o texto. foi prendendo aos poucos, e o final foi lindo. Adorei o seu lirismo e a sua forma de escrever.

Portal disse...

Muito bom o texto. Principalmente da forma que foi narrada. Concordo com alguns comentários acima. O template preto com letras claras por cima, dói os olhos. Abraços!

Dani disse...

acho que se tornou qse unanime aq a opiao sobre o texto ótimo e a cor do template
goataria de ser + original em meu comentario mas o amigos de cima chegaram primeiro =]

adoro visitar blogs e descobrir pessoas com tanto talentos diferentes

bjus

www.letter-star.blogspot.com

jlou disse...

Ja vim aqui! rsrsrs

www.jlouthings.blogspot.com

Corvito disse...

Conseguiu ser simples e profundo!

Gostei de verdade do seu jeito de escrever, realmente, a história prende e é extremamente fácil de ser entendida!

Parabéns! De verdade!

Abraços!


http://losfanfaroes.blogspot.com

Mickey disse...

e cmo dizem uma mentira contada mil vezes se torna verdade....rsrsrs.....t+



da uma bizoiada

http://sonacachaca.blogspot.com/

Abel disse...

A paisagem fria em contraste com os sentimentos quentes, sensuais e afetuosos.
Contraste que de outros modos enfrentamos entre o que desejamos e o que podemos de fato.

Legal seu texto mesmo!

Abçs,
Abel

Tiago Enes disse...

Oi

O Blog tá muito legal!
Bons posts!

Parabéns!

Abraço!


Se puder visite!!!

http://tiagoenes.blogspot.com/

Tiago Enes disse...

Oi Jan!
Ótimo texto!
O Blog tá muito legal!
Bons posts!

Parabéns!

Abraço!


Tenha um ótimo Fim de Semana!

http://tiagoenes.blogspot.com/